Imobilização de Suspeitos – Ricardo Nakayama

No conceito da defesa pessoal, a imobilização e controle de um elemento suspeito é muito importante. A aplicação da técnica correta segue os preceitos do uso moderado da força e deve ser aplicada em situações que não envolvam armas de fogo, utilizando uma técnica não letal, visando a preservação da integridade física tanto do(s) agente(s) que aplica(m) a técnica quando do suspeito.Exemplos de situações em que devem ser aplicada técnicas imobilização:

  • Desacato de autoridade
  • Invasão de área restrita
  • Pessoas surtadas, alcoolizadas ou com estado psicológico alterado
  • Resistência a prisão
  • Manifestantes em protesto

Posicionamento

Posicionamento: na abordagem de um elemento suspeito é interessante adequar o posicionamento do (s) agente (s) de segurança (s) para diminuir o risco de ser atacado (s) de surpresa. É importante evitar se aproximar pela frente (ponto 0), procurando uma aproximação pelos flancos (1 pulso, 2 cotovelo ou 3 ombro) ou pelas costas (4) do suspeito.

Regras de Abordagem

  • O ideal é que para cada elemento abordado tenhamos três agentes de segurança.
  • Defina as atribuições de cada elemento da equipe para não haver desencontros de procedimentos.
  • Procure utilizar os elementos mais fortes para a abordagem direta e os demais para fazer a cobertura.
  • Nas técnicas de controle o objetivo é preservar a integridade do agressor, sendo recomendado técnicas de controle (chaves de braço) para imobilizar o elemento.
  • Assim que conseguir imobilizar o agressor, retire-o imediatamente do local utilizando uma técnica de condução.

Texto Ricardo Nakayama